Noticias Cult

José Carlos Semenzato

“Pensar pequeno atrapalha o sucesso”
José Carlos Semenzato

A história de vida do empresário e dono da maior aceleradora de franquias do Brasil, com mais de 700 unidades sob gestão e faturamento acima de R$ 600 milhões em 2016, não é muito diferente da maioria das crianças que nascem em famílias pobres, mas tem em si o espírito empreendedor e sonham com um futuro melhor. José Carlos Semenzato, 49 anos, é natural de Cafelândia – SP e nasceu em uma família humilde, com pai mestre de obras e a mãe dona de casa. Teve que aprender a se virar logo cedo, por isso, aos 13 anos vendia as coxinhas que sua mãe Alzira fazia. Com o dinheiro conseguiu comprar uma bicicleta e anos depois um Fusca 1978 usado. Nessa época, Semenzato fez um curso de computação e de programação, conhecimentos que mais tarde o ajudaram a escrever o seu nome no empreendedorismo ao criar, em 1991, aos 23 anos, a Microlins. Aos 16 anos, trabalhava em uma copiadora da cidade de Lins, onde morava com a família, e se tornou gerente de operação devido ao seu atendimento primoroso que acabou por conquistar os clientes. Meses depois foi convidado a trabalhar em uma grande construtora onde passava até 14 horas dentro de uma sala programando. Aos 17 anos já tinha desenvolvido softwares de controle de gado, de contas a pagar e a receber e controle de estoque. A descoberta por uma nova paixão o levou à docência. Aos 18 anos foi professor de segundo grau em computação no Instituto Americano de Lins e seis meses depois já dava aulas de reforço aos sábados e domingos para os alunos que o procurava. As aulas eram dadas no computador do sogro numa padaria.

Microlins
Aos 23 anos, decidiu se tornar dono do próprio negócio e com o dinheiro da rescisão, Semenzato comprou quatro computadores e deu início a Microlins. Nesta mesma época vivia a emoção de se tornar pai. Os negócios iam de vento em popa e, em 1994, a Microlins tinha 17 escolas próprias. Mas, a economia do país atravessa mudanças consideráveis. Com o início do Plano Real e juros altos, as prestações do leasing de mil computadores em dólar se tornaram uma bomba financeira. A virada começou a partir daí. Semenzato conta que entrar no mercado de franquias foi bastante inusitado. “Eu tinha duas opções: tornar minha empresa em uma rede de franquias – conceito que eu sequer conhecia à época – ou não existiria mais”, lembra. E foi com essa ousadia que o empresário saiu da quase falência para o sucesso total. “Eu tive seis meses para transformar 17 escolas próprias em 16 franquias, porque a de Lins continuou como própria”, revela. Em 1996, o empresário ousou novamente e passou a oferecer cursos profissionalizantes na Microlins. Em 2001, tomou mais uma decisão difícil ao vender uma Mercedes, de R$ 200 mil, para colocar a Microlins em rede nacional, com ações de merchandising. O sócio foi contra, mas ele tinha certeza do que precisava ser feito e foi em frente. “Assinei a fatura tomando o risco sozinho e, 45 dias depois, a empresa criou mais de R$ 1,5 milhão em recebíveis. Paguei a primeira fatura e nunca mais saí da televisão”, recorda Semenzato. A Microlins chegou a 700 franquias em todo o País com mais de 500 mil alunos. E mesmo tendo levado quase 10 anos para colocar a empresa em pé, Semenzato decidiu, em 2008, vender a empresa para o Grupo Multi, por R$110 milhões. Para ele, a decisão foi uma nova oportunidade. “A venda da minha empresa não foi o fim do meu sonho, muito pelo contrário, foi um cheque para iniciar uma nova fase”, explica.

Franchising
José Carlos Semenzato construiu um império, mas não se limitou a isso. O desejo de “sonhar alto” como costuma dizer, o fez seguir trabalhando com o segmento que se tornou o seu DNA por necessidade: o Franchising. “Foi por necessidade e não por planejamento. Pensar pequeno atrapalha o sucesso”, conceitua. Sonhador e realizador, o empresário fundou, em 2010, a SMZTO Holding de Franquias Multissetoriais – a maior aceleradora de franquias do Brasil, que hoje emprega cerca de 10 mil funcionários, contando as unidades franqueadas de todas as redes. A pretensão é chegar a mais de mil unidades franqueadas ainda neste ano e faturamento de mais de R$ 800 milhões nas redes. A primeira aquisição da empresa foi a L’Entrecôte, de Paris, rede de franquias com a proposta de oferecer um prato único: o famoso entrecôte banhado em um molho secreto com 21 ingredientes e que leva 36 horas para ficar pronto, acompanhado de fritas e salada. A rede inaugura em breve, em Uberlândia, uma nova unidade. A SMZTO é sócia da apresentadora Xuxa Meneghel nas marcas Casa X e Espaçolaser e de Gustavo Kuerten na LifeUSA, além de ter outras seis marcas em seu portifólio: Instituto Embelleze, L’Entrecôte de Paris, OdontoCompany, Oralsystem, PartMed, Totallaser e GUA.CO. “O grande diferencial da holding é que nos tornamos sócios das marcas que aceleramos. Isso significa que acreditamos e apostamos nas nossas redes”, observa Semenzato.

Franquia
A Bem Estar Licenciamentos é uma empresa de Uberlândia, com 4 anos de mercado, que revolucionou o conceito de barbearia no país ao criar e implantar o serviço de Barboterapia. O que antes era um serviço, tornou-se uma marca registrada e consolidada. Além da Barboterapia, a Bem Estar Licenciamentos tem outras marcas: Isac.com, I Barbearias S/A, Gift Box, Newbarbo e as mais novas Use Volt e Superfun.

capa 01

Entrevista
José Carlos Semenzato, empresário da SMZTO Holding de Franquias Multissetoriais, lançou o portal Franquias de Impacto. No portal, o empreendedor encontra entrevistas com especialistas, dicas de gestão, marketing e vendas, tendências e dicas de básicas para quem está começando e histórias de sucesso. A seguir, uma entrevista exclusiva com Semenzato para a revista Cult. Nela, o empresário fala sobre empreendedorismo, vantagens e desvantagens de uma franquia e dá conselho para quem quer iniciar um negócio.

O Brasil é um país de empreendedores?
Nosso povo tem uma veia empreendedora e isso nos coloca numa posição de inovação, dando destaque a vários setores em que atuamos com relevância internacional. Se os planos do nosso governo fossem voltados para fomentar esta vocação empreendedora, oferecendo recursos de baixo custo e a longo prazo, certamente poderíamos ocupar lugares ainda melhores de destaque no cenário mundial, melhorando a arrecadação do governo, gerando mais empregos e riquezas para o nosso Brasil. Neste cenário, destaca-se o Franchising, que alia esta força empreendedora com negócios formatados e de sucesso, onde as réplicas levam a risco baixo no investimento que os empreendedores fazem, proporcionando crescimento acima de 7% em um cenário de crescimento negativo do PIB Brasileiro.

Qual o principal conselho que você daria para quem quer começar um negócio?
A primeira preocupação deve ser o setor em que se vai investir. É importante buscar um produto ou serviço cuja necessidade em uma determinada região tenha sido determinada por meio de pesquisas. Ao mesmo tempo, porém, é essencial verificar a sua afinidade pessoal com o setor, ver se você consegue se ver atrás de um balcão operando aquele negócio, e se isso o faria feliz. Vencida esta etapa, deve-se verificar se existe capital necessário para o investimento. Se puder optar por um negócio no setor de franquias, melhor ainda, pois você vai diminuir muito os riscos ao replicar um negócio que já está testado e aprovado pelo consumidor. Depois basta aplicar muita determinação e disciplina na execução dos manuais operacionais e celebrar o sucesso em curto espaço de tempo.

O empreendedor deve sempre investir em um negócio com o qual tem afinidade? Ou ele pode arriscar-se?
Eu acredito que ter afinidade com o seu negócio, acreditar naquilo em que você está investindo, é essencial. É possível que um empreendedor se dê bem arriscando, mas quanto mais à vontade uma pessoa se sente em seu negócio e quanto mais propriedade tem sobre aquilo, mais fácil para ela gerenciar a empresa. Na SMZTO todas as marcas que entram na holding têm seus fundadores mantidos como presidentes da rede que criaram. Para nós é essencial ter à frente do negócio a pessoa que desenvolveu aquela ideia e a levou até ali, para não perder a essência.

Além de uma boa ideia e recurso inicial, o que mais é preciso para abrir um negócio?
É preciso que esse negócio tenha um plano sólido, pensado a médio e longo prazo. Muitas vezes uma boa ideia não se comporta da mesma forma dali três ou cinco anos, mas a empolgação inicial faz as pessoas investirem sem se certificarem de que o negócio se sustenta. Recomendo verificar se aquele produto ou serviço é desejado pelo público, se o valor agregado é adequado e como o público-alvo do negócio vai encontrá-lo. Depois disso há uma série de detalhes técnicos, como logística, fornecedores, funcionários, divulgação, entre outros pontos de atenção.

O que levar em consideração na hora de adquirir uma franquia?
É preciso analisar o grupo que está por trás daquela marca (se houver), analisar seu histórico, conversar com franqueados da rede e visitar suas unidades, ver se estão felizes, quais são as principais reclamações. Se possível, sentir-se do outro lado do balcão, colocar a mão na massa e sentir na pele o dia a dia daquela franquia. Além disso, como uma rede de franquias pressupõe réplicas perfeitas, é preciso verificar se você está disposto a seguir manuais e se preocupar com a padronização. Escolher uma marca sólida, com produtos desejados pelos consumidores e uma franqueadora preocupada com a inovação também são aspectos importantes dessa escolha.

Por que adquirir uma franquia é mais seguro que abrir outro negócio?
Ao adquirir uma franquia, você conta com expertise, manuais, fórmulas de sucesso testadas e vantagens que são possíveis apenas dentro de uma rede, como a possibilidade de negociação de preços com fornecedores, aumentando a margem de lucro, e uma redução do custo de captação de clientes, por meio do fundo de marketing e propaganda com alcance muito maior do que uma pessoa teria ao investir sozinha na divulgação de seu negócio. Ao comprar uma franquia você também tem a chance de oferecer um produto ou serviço que já é conhecido e desejado pelo consumidor.

Quais as vantagens e desvantagens de uma franquia?
As maiores vantagens são essas mencionadas acima, contar com pessoas com expertise naquele negócio e com possibilidades de oferecer suporte para as dúvidas e dificuldades, além do renome da marca escolhida e a possibilidade de conseguir mais divulgação e preços melhores com fornecedores. Fora isso, a padronização das franquias faz com que o empreendedor tenha processos claros para seguir no seu dia a dia, o que é muito útil, caso ele não tenha experiência na área. O que pode ser uma desvantagem para algumas pessoas é a necessidade de seguir os manuais e impossibilidade de mudar certos aspectos do negócio da maneira que desejar.

Das suas franquias, qual é a mais acessível?
A franquia mais barata atualmente é a OdontoCompany – hoje a maior rede de clínicas odontológicas do Brasil, com 370 unidades, sendo 236 em operação e as demais em fase de implantação. O investimento inicial, incluindo taxa de franquia, capital de giro e capital para instalação fica entre R$ 117 mil e R$ 287 mil. A rede trabalha com tecnologia de ponta e amplas possibilidades de parcelamento, para levar tratamento odontológico de qualidade a quem muitas vezes não teria acesso a tais serviços de outras maneiras.

PorMargareth Castro | Jornalista
Postado por: Filipe Medeiros | Coordenador de Conteúdo

Desfile Show - Núcleo de Salões Aciub
Post Anterior

Núcleo de Salões de Beleza e Centros de Estética promove desfile para apresentar tendências

Banda Jovem Guarda
Próximo post

Confira a programação social do Cajubá desta semana

Filipe Medeiros

Filipe Medeiros

Filipe Medeiros é publicitário e possui um site de comunicação/entretenimento (Papo e Mídia).

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>