AcademiasAcontecimentosAgro CultAniversáriosBaresCasamentosCasesCasesCases da pecuáriaColunismo socialComércioComportamentoDireitoEditoriaisEducaçãoEmpresarialEstéticaEstéticaEventosEventosFitness CultFornecedoresFornecedoresFornecedoresFornecedoresFornecedoresFornecedoresFornecedoresGente CultGourmet CultImóveis CultIndústriaInovaçãoInvestimentosJurídico CultJustiçaKids CultLançamentos automotivosLançamentos CultLançamentos imobiliáriosMais CultMídias digitaisModaModaModaMotor CultMundo CultNutriçãoNutrição animalOportunidades imobiliáriasPet CultProdutosProdutosProdutosProdutosProdutosProdutosProdutosProdutosProdutosProdutosProdutosProdutosProdutosProdutosRaçasRestaurantesSaúdeSaúdeSuplementaçãoTecno CultTurismo CultTurismo de eventosUtilidade públicaVariedadesViagens

Animais no combate à hipertensão e depressão

Os pet fazem bem ao coração e
ajudam a reduzir a pressão arterial

Os bichos de estimação, além de ótimos companheiros, também podem ajudar na saúde dos humanos. Entre os vários benefícios, os pets podem desempenhar um papel importante como medida preventiva de hipertensão e no combate à depressão, problemas que acometem cerca de 30 milhões e 11,2 milhões de brasileiros, respectivamente. A depressão apresenta o sentimento de solidão e variações no humor como alguns dos principais sintomas da doença. E é justamente nestes dois aspectos que os animais podem contribuir para diminuição do problema.

De acordo com o psicólogo André Assunção, isso acontece porque, além ser uma companhia fiel aos donos, eles despertam o interesse e o cuidado com outro. “As trocas de carinhos com os pets colaboram para a produção e liberação de serotonina e dopamina, substâncias presentes no cérebro, responsáveis pela sensação de prazer e alegria. Esses neurotransmissores atuam no cérebro de modo a estabilizar o humor, além de regular o sono e o apetite, problemas comuns entre as pessoas com depressão”, explica Assunção.

Mas os benefícios não param por aí. Os pet ainda fazem bem ao coração e ajudam a reduzir a pressão arterial. Segundo o cardiologista Newton Rodrigues, o bem-estar provocado pela troca de afeto com os bichos de estimação reduz a quantidade de adrenalina no organismo, diminui a frequência cardíaca e respiratória, contribuindo para a diminuição da pressão arterial. “O convívio com animais de estimação também pode estimular o dono a ser mais ativo. As brincadeiras com os pets, bem como a caminhada para passear, são práticas que estimulam o exercício físico e a interação social, beneficiando a saúde e a qualidade de vida, tanto do humano, quanto dos companheiros bichinhos”, finaliza Rodrigues.

Por: Valeriana Medrado | Jornalista
Postado por: Filipe Medeiros | Assessor de conteúdo da Revista Cult

a
Post Anterior

Bebé Martins, a saga da Canto de Minas

Imagem: Divulgação/Internet
Próximo post

Investir em tecnologia exige empresas especializadas

redação

redação

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>