Almanaque CultCinema

Fragmentado

O grande atrativo do filme é a
atuação impecável de James McAvoy

Em 1999, quando foi lançado no mercado cinematográfico o filme “O Sexto Sentido”, o nome de M. Night Shyamalan ficou mundialmente conhecido por causa do excelente trabalho que o cineasta realizou nesta produção. Nos dois anos seguintes, o mesmo diretor nos traz outros dois bons filmes “Corpo Fechado” e “Sinais”. Mas, infelizmente, a promissora carreira de Shyamalan se transformou em uma verdadeira frustração para os fãs de um bom filme. Produções como A Vila, A Dama na Água, Fim dos Tempos, O Último Mestre do Ar e Depois da Terra tiveram uma grande campanha de marketing vangloriando o diretor, mas a maioria dessas produções foi mediana ou ruim.

Finalmente, depois de um bom tempo sem termos algo de qualidade como os primeiros longas dele, temos o prazer de assistir um bom filme deste diretor. “Fragmentado” é, sem dúvida, uma obra de arte do gênero suspense e consegue prender a atenção do público do início ao fim. A história gira em torno de Kevin (James McAvoy) que possui 23 personalidades distintas e consegue alterná-las quimicamente em seu organismo apenas com a força do pensamento. Um dia, ele sequestra três adolescentes que encontra em um estacionamento. Vivendo em cativeiro, elas passam a conhecer as diferentes facetas de Kevin e precisam encontrar algum meio de escapar.

O roteiro, também escrito por Shyamalan, é muito bem desenvolvido e deixa o espectador com os olhos grudados na tela, sem se tornar cansativo em momento algum. A história é crescente e a cada ato descobrimos novos elementos que nos deixam ainda mais satisfeitos com a trama. E quando temos uma boa narrativa, muito bem dirigida por quem a escreveu, a produção fica melhor ainda. Shyamalan consegue criar um clima bastante tenso entre os personagens e usando um local escondido, abandonado e até claustrofóbico, realiza um ótimo trabalho na direção com ângulos que dão um tom de medo, transportando o público para dentro da projeção, na situação enfrentada pelas adolescentes. Mas, por mais que só falamos dos méritos de Shyamalan, sem dúvida o grande atrativo do filme é a atuação impecável de James McAvoy que, sem dúvida, faz deste o melhor papel de sua carreira até aqui.

O trabalho deste ator, que já tive o prazer de entrevistar no lançamento de um dos filmes dos X-Men, é brilhante. Ele se mostra totalmente eficaz no desafio de encarnar as 23 personalidades diferentes que existem dentro da mente do personagem Kevin. E mesmo que não tenhamos visto todas estas personalidades em cena, pelo menos umas oito atuações incríveis dele pudemos ver. E é nessa hora que descobrimos o quão bom um ator é. McAvoy atua tão bem que uma simples mudança no semblante já nos remete a outro personagem e por causa dos gestos, tom de voz, modo de se vestir tão bem encenados, somos capazes de saber exatamente quem é quem naquele determinado momento.

Nota 7

Por: Kelson Venâncio | Jornalista
Postado por: Filipe Medeiros | Assessor de Conteúdo Multimídia da CULT

arena-automotiva-foi-novidade-na-femec-deste-ano
Post Anterior

Femec 2017

pm
Próximo post

CDL Uberlândia reúne classe lojista para palestra sobre prevenção de crimes no comércio

redação

redação

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>