Comunicação CultVeículos

Imprensa tradicional ou influenciadores digitais?

As diferenças de hoje podem
ser similaridades de amanhã

Dia desses, vi uma postagem em uma rede social que me pareceu muito estranha. A primeira coisa que fiz foi procurar o site de jornais sérios para confirmar aquele fato. Era verdadeiro. Em outro dia, vi uma postagem de um influenciador digital elogiando bastante um determinado restaurante que queria conhecer. Avaliei o que ele dizia e os comentários que se seguiam. Gostei. Essas histórias falam de diferentes maneiras de ter acesso à informação. A imprensa nos informa sobre acontecimentos de maneira a nos permitir ver diferentes ângulos de um fato, acontecimento, pessoa ou organização. Mostra várias vozes e ângulos. Os influenciadores digitais também exercem esse papel de informar, mas o fazem mediante a expressão de sua opinião. Normalmente falam com pessoas de determinado nicho, sobre temas bastante específicos. Ambos atuam como formadores de opinião.

Existem pontos em comum entre imprensa e influenciadores, como credibilidade e alcance. No que diz respeito às diferenças, acredito que a maior delas está na existência de moedas de troca. No campo da imprensa, jornalistas vão avaliar e decidir se determinado assunto do mundo corporativo tem valor jornalístico ou não, se será publicado ou não, se é de interesse público ou não. No universo dos influenciadores, em muitos casos existem negociações comerciais envolvendo frequência e quantidade de postagens, contratos, presentes, convites para eventos e uma série de outras moedas de troca. No universo jornalístico, presentes e vantagens podem até ser aceitos, o que é questionável. No passado, essa prática ganhou o nome de jabá e era mal vista nas redações. Vivemos tempos de quebra de fronteiras e cada vez mais temos que refletir sobre qual a melhor estratégia de comunicação para fortalecer marcas, empresas, pessoas. As diferenças de hoje podem ser similaridades de amanhã. Tudo está em transformação. E a gente precisa se adaptar para não perecer, como os velhos, grandes e pouco flexíveis dinossauros.

Por: Adriana Sousa | Jornalista
Postado por: Filipe Medeiros | Coordenador de Conteúdo da Cult

maes
Post Anterior

74% dos consumidores vão presentear no Dia das Mães, aponta pesquisa CDL

k-bigpic
Próximo post

Viva a conexão!

redação

redação

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>