Bem CultQualidade de vida

Menos sofá

Assim como a corrida, os eventos
de corrida vieram para ficar

Menos sofá. Mais atividade. Este parece ser o mantra de cidades como Uberlândia que contam com diversos clubes, parques, praças, avenidas, represas, quadras de diferentes esportes, acessível para grande maioria da população. É nestes diferentes cenários que percebemos que a atividade física entrou de vez na vida das pessoas. Quadras de tênis lotadas, sem horários para aulas e todos se reunindo para jogar diariamente. No Praia Clube grupos realizam por iniciativa própria, e com todo o apoio do Clube, diversos campeonatos super organizados, com ranking anual, atraindo mais praticantes a cada etapa. Com futebol, nem se fala. O “racha” da firma, da vizinhança, do clube, diário e eterno. Sem falar nos diversos campeonatos de natação realizados aqui, recentemente no evento Circuito Capim Branco de Maratonas Aquáticas, mais de 100 atletas nadaram de 1000 a 5000m em represa. Pensando que a natação está voltando com força total é um grande evento. Com as bikes não é nada diferente, pois mais e mais grupos de ciclistas, de speed ou MTB estão invadindo as ruas e estradas, alguns pedalando cada vez mais rápido e mais longe, enquanto outros curtem a adrenalina e os amigos nas diversas trilhas e cachoeiras que rodeiam Uberlândia.

Fiquem atentos com o triathlon, ainda vão ouvir falar muito deste esporte, que reúne natação, bike e corrida em uma única prova. Em Uberlândia já tem vários iroman, entre outros campeões Brasil afora. O sarrafo está bem alto por aqui. Agora o bonito mesmo de se ver é quando vamos fazer aquele treininho de corrida no Parque do Sabiá e nos deparamos com a diversidade. Aquilo sim é colírio para os olhos. Todas as idades, rendas, gêneros, escolaridades, pontos de vista, velocidades, indumentárias e apetrechos, todos super conectados com o mundo a sua volta, mas principalmente com seu mundo interior, seja na consciência individual, seja no metabolismo, mas o corpo só pertence àquela pessoa. Ninguém mais vai interferir naquelas escolhas. E o que se vê é que a atividade mais simples, barata, efetiva, coletiva, indicada e praticada é a caminhada e corrida. Simples assim. As pessoas saem de casa para uma simples caminhada. E fazem isso assiduamente, como o doutor falou.

Mas a coisa começa mesmo a ficar séria quando a velocidade aumenta, essa caminhada vira trote e esse trote vira corrida. Duas, três vezes por semana, sozinho, no grupo, com o colega do trabalho, na assessoria, na rua, no parque, de 3km, de 5km de 10, enfim, a pessoa resolve sair pra correr, porque aquilo está fazendo bem demais pra ela. Agora, quem estiver lendo, vai levantar a mão porque conhece uma pessoa nestas condições. Correr pegou. Não está mais na moda. Pegou, faz parte da cultura das cidades corredores pelas ruas, todos os dias. Das grandes e das pequenas cidades. As pessoas estão correndo. É fato. Hoje existe uma imensa oferta em eventos, vestuário, nutrição, equipamentos, acessórios, enfim, de tudo para atletas de todas as modalidades comentadas anteriormente, mas para o corredor, aí sim, já que falamos em esportes, nada de braçadas com o mercado de consumo ao redor. De tudo, com todos os preços, qualidades, marcas. Pra melhorar o que estava bom, a medicina e a tecnologia deram as mãos e criam diariamente soluções para uma simples melhora em um determinado tratamento, ganho de performance e até alto rendimento. Tudo para a saúde do atleta.

Mas como estamos falando de seres humanos, existe um outro fator a se considerar. A maioria de nós quer ser melhor hoje do que foi ontem, por isso, outro mercado que está crescendo muito é o de eventos de corridas. Só neste ano de 2017, em Uberlândia vão acontecer mais de 15, fora a região. São eventos realizados nas ruas, nos parques, com o do Sabiá, clubes como Caça e Pesca, nas represas como Capim Branco, Pátio do Teatro Municipal, novos bairros como o Granja Marileusa, na terra, de dia, de noite, no sábado ou domingo, de curtas, médias ou longas distâncias. Assim como a corrida, os eventos de corrida vieram pra ficar. E fiquem à vontade, pois tem pra todos, pois a evolução do atleta é contínua e pelo que vemos a oferta ídem.

Começa assim: a pessoa, o corredor, geralmente conhece alguém que corre e que já participou de algum evento, aí claro, rola um convencimento, um convite, do tipo, “vamos lá, você vai gostar, tem camiseta, medalha, água, é bem legal, você vai ver, muita gente bonita, alto astral”. Aí a pessoa vai. E ela vai na distância de 3km, acha que o fato de completar já está bom, no próximo vai de 5km, e depois vai de 5km de novo e vai mais rápido, e isso a motiva e depois sabe onde vai parar? Em uma Maratona de 42km ou em uma prova de montanha na Serra da Canastra. Simples assim. Esse cara não para mais. E o evento é bom por que? Porque ele oferece uma coisa mágica: a consagração. Isso mesmo. Pra pessoa/atleta comum. Pra você ou pra mim. Pelo menos ali. Pelo menos naquele dia, quando cruzou a linha de chegada e ganhou aquela medalha que vai guardar pra sempre e que ficou eternizada na vida dela. Ninguém lhe tira este mérito. Mais uma vez: Conhece alguém assim? Então, vamos começar do começo. Sai do sofá. Aperte o start. Dê um passo a frente, e em seguida o próximo e depois escolha um bom evento pra estrear e comece sua coleção de medalhas e consagrações.

Por: Luciano Moraes | Diretor de Marketing
Postado por: Filipe Medeiros | Coordenador de Conteúdo

trabalhadores0
Post Anterior

Sinduscon-TAP discute preparativos para Minascon

1-silas
Próximo post

Um encontro na recepção

redação

redação

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>