Bem CultQualidade de vidaSaúde

O jiu-jitsu é um esporte para todos

Sociedade já entende o jiu-jitsu
como uma filosofia de vida

O jiu-jitsu (arte suave) é uma arte marcial de origem japonesa, aprimorada principalmente pela família Gracie, e desde a década de 50, foi considerada pelos japoneses uma arte marcial brasileira. São técnicas de defesa pessoal que utilizam de desequilíbrios, alavancas e torções para imobilizar e finalizar o oponente, sem a utilização de armas e golpes traumáticos como socos e chutes. Inicialmente a principal forma de divulgação do jiu-jitsu foram os desafios, tanto oficiais como clandestinos. Os lutadores de jiu-jitsu desafiavam lutadores de outras lutas, brigadores, estivadores, surfistas e valentões da época.

Na década de 90 foram criados os eventos de MMA e entre eles os mais famosos: UFC nos EUA e PRIDE no Japão. Eventos que tinham como objetivo a disputa entre diferentes estilos de luta e os lutadores de jiu-jitsu provaram para o mundo a eficiência das suas técnicas. Essa grande divulgação de nível internacional popularizou a modalidade e, com isso, pessoas de má índole começaram a usar das técnicas da arte para atos de barbárie e covardia. Surgiram os “Pitboys”, termo criado pela mídia para os jovens violentos de classe média e alta, que treinavam jiu-jitsu e saíam à noite para atos de violência. Indivíduos que não representam a grande maioria dos praticantes, mas infelizmente criaram um preconceito na sociedade em relação à arte e seus praticantes.

Nos últimos 15 anos, competidores, mestres e federações trabalham duro para mudar essa imagem negativa generalizada do esporte. Atualmente, com o rápido acesso à informação, fica fácil identificar quem são os bons e os maus profissionais, pois a sociedade já entende o jiu-jitsu como uma filosofia de vida, que ajuda as pessoas a melhorar fisicamente, psicologicamente e socialmente. Exemplos disso são os inúmeros projetos sociais, histórias de superação e transformações de vidas através dos benefícios da arte suave. As pessoas interessadas em conhecer o verdadeiro estilo de vida que o jiu-jitsu pode lhe proporcionar, devem procurar uma equipe com história, um professor capacitado e com experiência. Caso contrário, podem continuar sem conhecer o verdadeiro jiu-jitsu, perdendo tempo e dinheiro.

Por: Tiago Rocha | Garden Fight Center
Postado por: Filipe Medeiros | Assessor de Conteúdo Multimídia da Revista CULT

p1
Post Anterior

Luta fitness: movimentos com alta queima de calorias

Próximo post

Essaycapital . COM walk-through: prime service to buy academic assignments asap and on schedule

redação

redação

1 Comentário

  1. marciofreire1961
    6 de outubro de 2017 at 06:26

    Durante anos nutri profunda antipatia pelos praticantes de jiu jitsu exatamente por ter sido jovem nos anos 90 e presenciado a maldade e covardia de alguns praticantes. Jiu jitsu, para mim, estimulava essa agressividade irracional.
    Hoje felizmente o quadro está mudando e meu preconceito diminuindo ainda que eu ainda tenha um pé atrás e não mantenha amizade com ninguém que treina. Eu vi muita maldade, felizmente tá acabando.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>