Variedades

Por que a imagem profissional precisa estar compatível com os valores da empresa?

Pesquisa mostra que a maioria dos funcionários
no Brasil se veste de forma inadequada para trabalhar

Muito se fala em identidade visual e imagem corporativa na obtenção do sucesso de uma empresa. Mas o que isso significa na prática? O marketing pessoal é o cartão de visitas, por isso a importância da aparência, por isso, cada ambiente corporativo demanda uma roupa diferente.

Segundo a consultora de imagem, Carina Alencar, o modo como os funcionários se vestem transmitem a imagem da empresa. “Qual a imagem a empresa deseja passar? O funcionário sempre transmite algo a seu respeito e a respeito da empresa pela forma como se veste e se apresenta. Independentemente do lugar onde trabalha, o profissional deve procurar passar uma imagem positiva e de credibilidade. Para cada ocasião, uma roupa. O dresscode deve sempre ser respeitado. O funcionário precisa entender os valores e conceitos da organização onde trabalha e alinhar o seu vestuário à imagem da empresa”, afirma Carina Alencar.

De acordo com Miguel Soares, psicólogo, o sucesso está relacionado em ser bem-sucedido em algo ou alguma coisa. “Quem nunca ouviu dizer que a ‘a primeira impressão é a que fica’. Se não fosse assim, a indústria em geral não se preocuparia tanto com as embalagens dos produtos oferecidos aos consumidores. É fato que para ter sucesso no campo profissional, nos negócios e até nos relacionamentos interpessoais, é necessário investir em qualificação, estudo, mas também na boa aparência”.

Maioria dos funcionários se veste de forma inadequada
A consultoria Robert Half realizou uma pesquisa com 1.775 diretores de Recursos Humanos de 19 países, sendo 100 brasileiros. A pesquisa mostrou que a maioria dos funcionários no Brasil se veste de forma inadequada para trabalhar. 54% dos diretores brasileiros afirmaram que viam os colegas malvestidos com certa frequência, sendo que a média mundial foi de 42%. Ainda no Brasil, 22% dos participantes disseram que uma boa aparência influencia bastante, enquanto para 45% influencia significativamente e 41% afirmaram que influencia pelo menos um pouco.

Sem dúvida nenhuma, a aparência física mostra zelo e autoestima equilibrada. A vestimenta vai além de marca ou roupas caras, o essencial é a higiene, o bom senso e o bom gosto, afinal, o corpo fala e a atenção à linguagem corporal é imprescindível”.

A especialista explica que muitas empresas têm seu código de conduta ou manual de estilo. “O funcionário representa a marca de uma empresa. É importante fazer um trabalho com os colaboradores para que entendam a importância da valorização da imagem pessoal e da profissional. Num ambiente mais formal, a vestimenta deve ser comportada, a fim de transmitir respeito, confiança e credibilidade. Mas se o ambiente for de moda e publicidade, por exemplo, o traje pode ser mais despojado e criativo”, afirma. No escritório de advocacia Êxito há um padrão a ser seguido. “A vestimenta precisa estar alinhada com os nossos valores. Os advogados sempre bem arrumados, porque prezamos a imagem de excelência, condizente com nosso serviço”, disse Leila Gonçalves. Já no espaço Sempre Linda, a empresárias Marcielen Cristine e Vanessa Lima, optaram pelo uniforme. “É uma maneira de reforçar a marca. Um diferencial, pois transmite confiança, profissionalismo, organização e a preocupação com a higiene e a imagem da empresa”, acreditam.

Peças inadequadas
A especialista afirma que o bom senso deve prevalecer e que o ambiente de trabalho deve ser levado em conta. “Em nenhum ambiente profissional, deve-se usar transparências e decotes, saias ou shorts curtos para as mulheres; e camisetas de propaganda ou time de futebol, camisetas cavadas e tênis de corrida, para os homens. As roupas precisam ser limpas, bem passadas, discretas e com cores mais neutras. Em muitos casos, as empresas optam pelo uniforme, justamente para unificar o padrão”, diz Carina Alencar. A consultora orienta que em caso de dúvida, o ideal é conhecer a opinião de especialistas em moda e se atualizar com frequência sobre o assunto. “Para não errar use roupas clássicas, pois a possibilidade de erro é menor”, conclui.

enredes0
Post Anterior

Sinduscon-TAP é parceiro na realização do EnRedes

_j9a6938
Próximo post

Entrevista com Leo Chaves

Serifa Comunicação

Serifa Comunicação

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>