Almanaque Cult

Oportunidade: o que muitas vezes falta para transformar uma vida

Conheça a história do adolescente, Jefferson Emanuel, cuja trajetória vem sendo transformada pela ação social de um projeto de arte-educação.

Disperso, desinteressado, ausente. Esse era Jefferson Emanuel quando chegou aos 11 anos de idade ao Programa Transforma, para participar de Oficinas de Artes Cênicas, coordenadas pelo EMCANTAR Social, no bairro Alvorada, em Uberlândia (MG). “No início, Jefferson faltava bastante e, quando participava, era disperso”, afirma a coordenadora do EMCANTAR Social, Ana Lopez.
Por meio da experiência de quem já atendeu mais de 20 mil crianças e adolescentes em projetos regulares desenvolvidos em regiões de baixo aparelhamento social e cultural, a coordenadora do EMCANTAR Social sabia que, por trás de perfis como o de Jefferson, escondem-se medo e insegurança, sentimentos que se acolhidos de forma adequada podem se transformar.
Assim foi que em um belo dia os responsáveis pelas oficinas das quais Jefferson participava o chamaram para uma boa prosa sobre oportunidade de conhecer coisas novas, a qual foi suficiente para que o menino tímido começasse a se transmutar no adolescente participativo e determinado de hoje.
“Eu não conseguia falar em público, e nas oficinas eu desenvolvi esse meu lado, descobri o poder da oratória, o poder da fala, não somente com palavras mas também a expressão corporal, que muitas vezes diz mais do que as próprias palavras em si. Mas, definitivamente, o que mais mudou em mim foi conseguir valorizar as coisas, poder enxergar o grande nas coisas pequenas. Dali pra frente quis me motivar, estipulei metas para mim que desejava bater e venho fazendo isso até hoje”, diz Jefferson, que aprendeu a tocar percussão nas oficinas e atualmente é quem, muitas vezes, conduz a parte rítmica das atividades.
Em 2016, Jefferson também se descobriu ator e foi um dos protagonistas do espetáculo “Navegantes”, apresentado em escolas, teatros e para a comunidade. Uma grande surpresa para sua família. “Eu me senti emocionada em ver a evolução do meu filho, como pessoa e ator, o amor com que ele estava fazendo tudo ali, o sorriso de satisfação com o resultado de um longo e duro trabalho de um ano”, descreve Maria Abadia Guimarães Lázaro, mãe do garoto que, a esta altura, vive a adolescência de maneira mais tranquila, segura e feliz.

Mais sobre o Projeto Oficinas de Artes Cênicas
É um projeto social de arte-educação com foco na vivência e criação em artes cênicas, desenvolvido para 120 crianças do setor leste de Uberlândia (MG). Como principais resultados, o projeto prevê a produção de um espetáculo inédito pelos próprios participantes, que será apresentado em escolas públicas e instituições, e em evento de mobilização cultural no setor leste da cidade, o Alvorada Cultural, que em 2017 chega à sua 10ª edição.
O projeto é apresentado pelo Ministério da Cultura e Instituto Algar, realizado pelo EMCANTAR Social, em parceria com o Programa Transforma, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Sobre o EMCANTAR Social
O EMCANTAR Social é uma das frentes de atuação da Cia Cultural EMCANTAR, cujo propósito há 20 anos é fazer arte e encantar pessoas. Nas ações do EMCANTAR Social, mais de 20 mil crianças e adolescentes já foram beneficiados em cerca de 30 projetos regulares desenvolvidos em regiões de baixo aparelhamento social e cultural, além de escolas da rede pública de ensino fundamental. As atividades envolvem as linguagens da música, teatro, literatura, audiovisual, além de brincadeiras cantadas da cultura popular, já tendo publicado 07 livros de autoria coletiva, 02 DVDs com produções audiovisuais em câmeras de telefone celular, 01 CD e mais de 30 espetáculos inéditos resultantes de oficinas. Estas ações são viabilizadas por meio de mecanismos de incentivo à cultura e parcerias com empresas e institutos, tais como Instituto Algar, Instituto Alair Martins, SICOOB Aracoop, CDL Araguari, dentre outros.

Sobre o Instituto Algar
Por acreditar que a educação é o caminho que vai levar o Brasil a uma realidade melhor, o Grupo Algar investe, desde 1994, em programas sociais voltados à comunidade. A ideia é contribuir com a melhoria da qualidade da educação brasileira. Ao longo dos anos, estes programas cresceram e, em 2002, passaram a ter a gestão do Instituto Algar e uma atuação em três dimensões: social, ambiental e cultural. Os programas sociais chegam a 27 cidades, 163 escolas parceiras, 11.990 mil alunos beneficiados, 445 educadores envolvidos e a participação voluntária de 2.710 associados da Algar.

foto38
Post Anterior

Polícia Militar celebra 242 anos em evento na CDL Uberlândia

mulher09
Próximo post

Qual a melhor cor para o seu tom de pele neste inverno?

Ciclo Assessoria

Ciclo Assessoria

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>