Almanaque CultArtistasCultura

Tati Ferreira

Seu canal “Acidez Feminina” tem
mais de 138 milhões de acessos

Taty Ferreira, conhecida como Acid Girl, é youtuber de sucesso e seu canal Acidez Feminina, com mais de 138 milhões de acessos, tem levado entretenimento a milhares de internautas em todo o mundo desde 2010, ela já esteve nos principais programas de TV brasileiros e é autora de dois livros, sempre abordando o universo feminino sem pudores.

Quando e como o YouTube se tornou uma profissão para você?
Eu era auxiliar administrativa e comecei a fazer vídeos para a plataforma, com três meses de canal eu recebi meu primeiro cheque do Google e, na época, o valor era pouco menor do que eu recebia no outro trabalho. Então para o meu padrão de vida pensei que se eu dedicasse mais, podia aumentar esse ganho e foi quando decidi sair do outro trabalho e ficar por conta dos vídeos.

Acid Girl, Taty Ferreira ou Acidez Feminina?
Acid Girl foi no início, é meio zoado, né? Pouca gente sabe pronunciar e fica tenso, por isso eu assumi o Taty Ferreira e o canal é o Acidez Feminina.

Como você consegue, de forma ninja, manter a sua privacidade!?
Eu não sou baladeira, sou caseira, minha vida não tem nada de interessante, então o que não acontece nos vídeos, não acho que seja da conta de ninguém. Minha vida pessoal não é muito o assunto dos vídeos, ninguém quer me ver de pijama, trampando em frente ao computador, sabe? E dou minha opinião de forma geral, se eu estou vivendo uma questão, tento não falar dessa questão ao mesmo tempo no canal, porque eu acho que mistura muito, então eu dou um tempo e gravo um vídeo bem depois, até porque isso me deixa sã. YouTube é meu trabalho e preciso dividir isso certinho na minha cabeça.

Empoderamento feminino…
Acho mesmo que mexeu com uma, mexeu com todas. É muito importante e acho que a gente faz mais pela sociedade, às vezes, se mostrando como um bom modelo de mulher empoderada do que gritando muito. Eu não sou ativista, não é da minha natureza, entendo quem é e acho importante, mas prefiro me mostrar no dia a dia essa mulher empoderada, nos vídeos, etc.

Na internet é comum, viver de aparências…
Acho bem zoado isso aí, é algo que eu falo muito, tenho ressalvas quanto a isso, critico muito, trabalho na minha terapia, muita gente vive de aparências, vive dentro de uma bolha e eu sou o tipo de pessoa que eu não consigo passar maquiagem para ir na esquina, sabe, preciso forçar a barra. Então, pra mim tudo isso que envolve muita produção o tempo todo, me parece… zoado.

Aborto…
Acredito que o direito ao aborto é muito importante, sou a favor, mas por outro lado sinto que o Brasil não está pronto para colocar o assunto enquanto pauta. Precisamos de mais educação sexual, tanto dentro de casa, quanto na escola, e o próprio sistema de saúde do país precisa melhorar para que o tema evolua.

Por: Fernando Prado
Postado por: Filipe Medeiros | Coordenador de Conteúdo

Foto: Divulgação
Post Anterior

21° Festa Junina da ONG Ação Moradia começa neste sábado (27)

foto-1
Próximo post

Talento musical

redação

redação

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>