Bem CultQualidade de vidaSaúde

Terapia sexual

As disfunções sexuais são apenas mais uma
resposta deste mundo cheio de metas e segundos

O termo “sexualidade” nos remete a um universo onde tudo é relativo, pode-se dizer que é o traço mais íntimo do ser humano, e como tal, se manifesta diferentemente em cada indivíduo de acordo com a realidade e as experiências vivenciadas pelo mesmo. Muitas vezes se confunde o conceito de sexualidade com o ato do fazer sexo propriamente dito. É importante salientar que um não necessariamente precisa vir acompanhado do outro. A sexualidade no ser humano possui componentes físicos, afetivos, intelectuais e socioculturais que a distanciam imensamente de qualquer outro tipo de manifestação sexual dentro do reino animal. Portanto, é preciso estar muito bem estruturado no sujeito. A terapia sexual, além de trabalhar com o universo da sexualidade, desenvolveu técnicas essenciais para o tratamento do ato sexual, tais como:

1) Exercícios de Kegel (Arnold Kegel)
Fortalecer os músculos do períneo – Maior irrigação – Maior libido.

a) Contração
Realizar o treino quando estiver urinando. Realizar manobras de interrupção urinária e detectar o grupo muscular.

b) Tremulação.
Contrair e relaxar os músculos do períneo.

c) Sucção.
A paciente deve inspirar fundo e contrair a musculatura perivaginal, de fora para dentro, sem contrair os músculos abdominais.

d) Expulsão.
Oposto ao anterior. A paciente deve inspirar fundo e empurrar algo para fora da vagina e expirar.

2) Dilatação Vaginal
De 4 a 5 sessões. Halsam (1978) propõe o tratamento através de Dilatadores Calibrados que são inseridos na vagina realizando o treinamento muscular.

3) Squeeze (Masters e Johnson)
Consiste em parar a estimulação sexual e apertar a base ou freio do pênis com três dedos (polegar, indicador e dedo médio) antes da ejaculação e por 3 a 4 segundos, o que parará a ejaculação e causará uma redução da ereção. Continue a estimulação e excitação mútua para voltar a recuperar a ereção. Esta técnica deve ser repetida 3 vezes até permitir a ejaculação. É normal que nas primeiras vezes não seja bem-sucedido em conseguir parar a estimulação antes de ejacular, mas deve continuar a tentar. Demora em média 3 semanas, fazendo o exercício 3 ou 4 vezes por dia até que se notem os resultados. Existem várias outras técnicas que tanto quanto essas precisam do acompanhamento de um profissional para orientação. Acredite, as disfunções sexuais são apenas mais uma resposta deste mundo cheio de metas e segundos e a Terapia está pronta para te ajudar. Abraços!

Por: Résia Morais | Psicóloga – CRP-MG 04/31203

c1
Post Anterior

Sendo passageiro

artigo01
Próximo post

Aumento de processos trabalhistas é reflexo direto do desemprego e da crise econômica

Filipe Medeiros

Filipe Medeiros

Filipe Medeiros é coordenador de conteúdo da Revista Cult.

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>