Variedades

Você não é Sósia, Sósia sou eu

O fraco é o forte que oprime, que obriga ou

confunde com o objetivo de alimentar sua vaidade

 

 

Na tragicomédia de Plauto, Mercúrio, disfarçado de Sósia, o escravo de Anfitrião, quase o convence de que ele, Sósia, é outra pessoa. Poderia ser uma comédia, uma pessoa parecida com você, falando como você e agindo como você, lhe dizendo que você não é você, mas ela é você. Confuso? Nem tanto. Essa relação geralmente acontece a partir de uma combinação de fatores. Poder, o maior, o mais capaz, os pais, os responsáveis, os adultos. Hierarquia, o chefe, o dono, o mestre, o ídolo. Identidade, a insegurança, o desconhecimento, a sujeição. São três coisas, três elementos que se combinados são a metáfora do Amphitruo de Plauto. Sósia um escravo, portanto, não conhece a liberdade e Mercúrio, um deus que age com libertinagem, que é autor da frase “tu és Sósia? Eu sou Sósia”.

 

Essa frase, como final de uma seção de violência física e verbal, ecoa nos ouvidos de um escravo que só sabe cumprir ordem, um subalterno, um menor, alguém sem chance alguma de defesa… Consequentemente, Sósia sucumbe. Já não se vê como Sósia, mas ao outro e começa a duvidar que ele seja ele mesmo e isso define a tragédia. Tal enfrentamento é excessivo no poder e falta de entendimento.

 

Mas você pode estar pensando que o mundo é dos mais fortes, é, mas o forte não nasceu forte, ele foi criado e sabiamente ensinado para que quando crescesse agisse como forte. O forte ajuda o outro, não importa quem seja ou onde esteja a forjar sua identidade. O fraco é o forte que oprime, que obriga ou confunde com o objetivo de alimentar sua vaidade. O forte pensa coletivamente, no bem-estar do todo. O fraco tem como lema “quem chega à fonte primeiro, bebe água limpa” ou “ pelo menos vou sair dessa situação com o bolso cheio”, sua “EUquipe” sempre coopera para sEU próprio bem. Assim temos os fortes e aqueles que usam a força para parecerem fortes, o conteúdo e a imagem. É uma questão de escolha, que vai muito além de sermos Sósias ou Mercúrios. Eu sou Cássia e não você. Eu sei quem eu sou.

 

 

Crédito

Cássia de Figueiredo

Freitas gratia Isabela.

cassiafreitas7@gmail.com

Post Anterior

Rotary em prol de projetos sociais

Próximo post

O Poder do Cobre

Cassia Freitas

Cassia Freitas

Cássia de Figueiredo Freitas é filha, esposa, mãe e irmã, presbiteriana, escritora graduada em Design pela UFU com extensão em Psicologia da Percepção e Comportamental. Com estudos nas áreas de lingüística e comunicação visual, desenvolve trabalhos voluntários nas áreas de comunicação, reintegração social e ensino. Participa do Gelativm, grupo de estudos lativm da Universidade Federal de Uberlândia.

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>